Image Map

19 de nov de 2013

2ª Temporada - LuAr Na Casa Dos Segredos 7° Capitulo

|

POV ARTHUR

 

É assim mesmo… eu guardo tudo para mim, sofro calado, mas eu não sou de ferro né? Tem dias que parece que tudo corre mal. Tem dias que parece que a sociedade decide acordar para zuar com a sua cara e é nesses dias, precisamente, que você fala para você próprio “não aguento mais”.

Esse “não aguento mais” tem várias consequências. Algumas podem ser cometer atos de cabeça quente e outras consequências podem ser simplesmente chorar.

Eu chorei porque não aguentava ver o fato da Lua estar na minha frente e eu não poder toca-la, beija-la e abraça-la como antigamente. Mas eu sabia que indo para aquele programa, isso ia acontecer. O que eu não sabia era que o Mion ia passar aquelas imagens da gente na “casa dos segredos”.

E quando eu digo “a sociedade decide acordar para zuar com a sua cara” é disso mesmo que eu falo. É o facto das pessoas “jogarem na sua cara” que à uns dias atrás vocês era feliz e que agora não pode ser mais.

Sei que o Mion não fez de propósito em passar aquelas imagens, é apenas o trabalho dele, mas doeu muito ver aquilo.

Para piorar a situação, o Chay me apanhou chorando…

 

Mas felizmente tenho a minha mãe do meu lado que me ajuda em tudo. Hoje, ela veio até à minha casa para fazer uma fascina em tudo isso e ia ficar aqui até mesmo quando eu saísse, mas é so por hoje mesmo.

 

Kátia: eu continuo dizendo que era melhor você ter me contado antes essa separação. Eu não gosto quando você guarda as coisas só para você porque depois pode acabar cometendo uma besteira qualquer

Arthur: prometo que não vou fazer mais isso – eu peguei as mãos da minha mãe, lhe prometendo – Mas agora tenho de ir lá na produção da Record para ver o que eles queriam comigo.

Kátia: será que é algum emprego?

Arthur: deus queria que sim – sorri – Bom, vou indo tá? – dei um beijo no topo da cabeça dela – Até mais logo.

Kátia: até!

 

Peguei no meu carro e ao som de “desculpa auê” eu fui até à record.

Era a segunda vez que eu entrava lá e me sentia feliz por estar a entrar novamente pois isso significa que não deixaram de acompanhar o meu trabalho, ou melhor, não me deixaram de parte por ser alguém famoso que entrou num programa, digamos, polemico.

 

Arthur: bom dia, eu queria falar com o… - eu voltei a ler o papel em que eu escrevi o nome do cara – Rodrigo Santos.

Xx: claro. Ele está na sala 3.04

Arthur: fica no terceiro andar?

Xx: isso mesmo!

 

Pro terceiro andar, aqui ia eu.

Pelo elevador, encontrei duas personagens da novela que a minha mãe costuma ver. Ela ia adorar estar no meu lugar. Até pensei em pedir autografo ou simplesmente tirar uma foto, mas elas pareciam esta a rever algum texto importante, então preferi não incomodar.

 

Chegando à sala, bati e entrei.

Era uma sala normal, de paredes brancas, com um monte de papeis espalhados por tudo o lugar. Mas mesmo assim, o homem que estava lá, um pouco atarefado também, me deu atenção.

 

Arthur: Rodrigo Santos?

Rodrigo: eu mesmo! – nuns cumprimentamos com um aperto de mãos – Fiquei sabendo que estava interessado em representar, certo?

Arthur: certíssimo! – agente se sentou

Rodrigo: pois eu gostei da força com que você “luta” por esse seu desejo e fiquei interessado. Mas antes queria saber se você tem experiência neste cargo

Arthur: não, não tenho.

Rodrigo: sendo assim você vai ter de começar a ir a aulas de representação. Tenho um amigo que tem uma escola de representação e é para lá que você vai. – ele começou a escrever algo numa folha branca – Ele te dá aulas e quando ele achar que você já tem experiência suficiente, ele te manda para cá. Pode demorar algumas semanas, mas você esta em boas mãos. – ele me deu o tal papel – Claro que você não irá ser um profissional, mas acredito que você se irá empenhar, certo?

Arthur: certíssimo! – eu confirmei, todo feliz – Mas quando ele me mandar para cá, o que eu vou fazer?

Rodrigo: você vai fazer uma pequena participação numa serie aqui na record. Quem sabe depois alguém te contrate para fazer uma novela, ou algo mais serio.

Arthur ri: ótimo! Muito obrigado! – agradeci

Rodrigo ri: de nada!

 

Tem como eu não ficar feliz? Não, não tem!

Estou a um passo de tornar o meu desejo em realidade. Seria ótimo eu entrar nessa serie e depois quem sabe numa novela. Mas um passo de cada vez.  

 

(…)

 

Quando contei à minha mãe, ela nem conseguia acreditar.

O Guga se fartou de me zuar, mas confessou no final que estava orgulhoso de mim.

Partilhei a noticia no twitter e aos poucos fui recebendo mensagens de apoio e muita boa sorte para esta nova fase da minha vida.

 

O Chay me ligou e combinou um jantar na casa dele.

 

(…)

 

Claramente, o jantar não ia ser só para mim e para ele né? Ele chamou também a Mel, Sophia, Mica e claro, a Lua.

Por incrível que apreça, eu e a Lua estacionamos o carro um ao lado do outro, ao mesmo tempo.

Eu queria falar com ela a sós, mas não sabia ainda bem o que dizer.

Eu sai do carro mais rápido e esperei ela sair também. Assim que ela saiu, eu fiquei olhando para ela e impedi que ela passasse sem me falar.

 

Arthur: fico feliz por você ter vindo – disse, olhando no rosto dela mesmo

Lua: o Chay pediu, se não, eu não vinha.

Arthur: e sabe porque veio?

Lua: sei muito bem… ele me falou do seu novo trabalho.

Arthur: mas veio também só por isso?

Lua: quem sabe também para chorar no seu ombro – ela me encarou – Não precisa se fazer de vítima, chorando pelos cantos para ser flagrado por outros e eles terem pena de você.

Arthur: o que? – não entendi nada do que ela dizia

Lua: se tá triste com o que aconteceu, eu também estou. Agora não vá chorar por aqui e por ali, dizendo que quer voltar comigo, porque você sabe muito bem porque estamos assim

Arthur: e é so por minha culpa? – encarei ela – Você é que fez tantas promessas.

Lua: porque pensei que aqui fora ia ter um cara que me respeitava e que tivesse seguro comigo, sem inseguranças de coisas bobas.

Arthur: eu sei que falei muita bobagem nos últimos dias. Mas se chorei, é porque não aguento de saudade – eu me aproximei dela – E sei que não devo ser o ultimo.

Lua: também tó com saudade… mas so volto para você quando voce acreditar que te amo mesmo!

Arthur: e eu acredito!

Lua: então porque falou que queria uma prova vindo de mim para provar que te amava? Você, indiretamente, falou que queria me levar pra cama sabia? – ela disse irritada, e tinha razão – Mas eu não sou quem você pensa que eu sou viu?

Arthur: eu tava errado e aprendi com isso. agora eu é que quero te provar que sei onde errei e não vou volta-lo a fazer. Mas você tem de me dar uma oportunidade antes

Lua: eu não sei…

Arthur: eu te amo Lua – quase implorei um beijo, porém, ela desviou

Lua: se você tenta mais alguma coisa, eu vou embora!

Arthur: desculpa…

 

E entramos assim na casa do Chay.

Ele foi contar tudo para a Lua, eu tenho a certeza. Ao contrário do que ela pensa, eu não me fiz de vitima, porque se eu me fosse fazer de vitima eu ficava de frente para as camaras chorando.

Mas pronto, sei que no fundo, ela me ama e apenas está se fazendo de difícil. Gostaria muito de te-la comigo agora, mas pelos vistos o caso está complicado, e confuso também. Porque eu já não sei quem está chateado com quem e qual o motivo… enfim, vamos ver como as coisas correm.

Quero comentários hein vidinhas? Por favor me deixem feliz *-*

Um comentário :

  1. Minha web favorita viiiiiiiiiiiiida <3<3<3 bruuuuna aqq

    ResponderExcluir

*Nada de comentários do tipo "FIRST", indicando que você foi o primeiro a comentar. Isso é ridículo e não acrescenta nada à blogosfera.
*Críticas também são bem-vindas, mas tenha educação ao escrever.
*Só faça comentários a respeito do tema.
*Se quiser fazer propaganda, entre em contato pela c-box.
*Não envie comentários repetidos.
*Não agrida a equipe, por favor.

Agora é só comentar..

Design por: Deborah Sophia - Adapta��o do c�digo por: Bruna Oliveira - C�digo base por: Luiz Felipe