Image Map

14 de out de 2013

Web's de Capitulo Único - Será que vai rolar?

|
Nome da web: Sera que vai rola?
Sinopse : O amor e a amizade andam de mãos dadas, quem nunca sentiu algo mais forte por um amigo ou amiga? Quem nunca sentiu o coração acelerar no abraço daquele melhor amigo? No caso de Lua e Arthur não existe, para eles, só à amizade eles se tratam praticamente como irmãos, porém a vida sempre arranja um jeitinho de mostrar que estamos errados não é mesmo? Eaí.. será que vai rolar?
- ACOOOOOOOORDA PEQUENA – De repente um estrondo enorme ecoa pelo meu quarto, me levantei assustada e quando abri os olhos me deparo com o Thur pulando igual um louco em cima da minha cama. Esse moleque realmente tem 13 anos? eu as vezes consigo esconder dizendo ser mais velha, afinal quem olha pra mim me dá 14 anos sem sombra de duvidas. Mas, me livrando desse pensamento logo fui tirar satisfações com aquele filho da mãe.
- ARTHUUR AGUIAAR O QUE ACONTECEU PRA VOCÊ ME ACORDAR ASSIM PORRA, ESPERO QUE SEJA IMPORTANTE SENÃO SE CONSIDERE UM HOMEM MORTO! - Eu sei que exagerei, mas eu realmente estava furiosa, o que leva um animal daquele me acordar daquela maneira? E ao invés de me dar uma explicação decente ele apenas olhou pra mim sorriu sapeca e começou a fazer cócegas, isso mesmo, cócegas, filho da mãe! - PARA THUR PAAAAARA! – Quando eu já estava praticamente roxa de tanto rir ele parou e sentou na minha cama com a expressão séria demais pra um menino de 13 anos. Fiquei esperando ele dizer algo e de repente ele joga a bomba:
- Lua, me dá um beijo? Sim, ele disse isso, ele parecia extremamente nervoso e toda hora franzia o cenho, eu provavelmente fiz uma cara muito assustadora porque ele apenas se afastou de mim e arregalou os olhos  
- C-c-como? – Foi a única coisa que eu consegui gaguejar – Você quer que faça o que? – Ele apenas respirou fundo e disse simplesmente 
– Eu quero te beijar.
Fiquei alguns segundos ingerindo aquela informação, como eu poderia dar um beijo Arthur se eu mesmo nunca havia dado um? Eu sempre me considerei muito avançada pra uma menina de 12 anos isso eu nunca havia feito. Depois de alguns segundos silenciosos eu tomei coragem e perguntei:
- Porque isso agora Thur? – Ele respirou fundo e começou a se explicar.
- Lua, sabe a Carol? Aquela da nossa rua?  Eu assenti confusa – Então, eu quero ficar ela, mas eu nunca beijei e não quero passar vergonha. 
Ao invés de responde-lo eu apenas fiquei quieta olhando fixamente pra ele, até que ele se irritou. 
Lua Maria é muito difícil pra mim você é minha melhor amiga tá pedindo isso pra isso pra alguém, mas você é minha melhor amiga a única pessoa que eu teria coragem de pedir, me ajuda por favor? – Droga! Ele fez aquela cachorro pidão que só ele faz, mas como eu poderia ajudá-lo se eu nem ao menos sabia como beijar? 
- Thur, e-e-u e-u não sei beijar – Com certeza eu devo ter ficado vermelha, eu nunca tive vergonha do Arthur, mas sei lá foi estranho aquele momento.
- Tudo bem Lua, a gente podia descobrir isso juntos né? Eu preciso muito da sua ajuda Lua, a Carol é muito linda e você sabe que eu gosto dela desde que eu me conheço por gente – E novamente ele fez carinha de cachorro pidão. -Tudo bem Sr. Exagerado, a gente pode tentar. – Ele assentiu e começou a se aproximar, eu provavelmente estava vermelha, mais uma vez, quanto mais Arthur se aproximava, mais meu coração acelerava, parecia que ia pular pra fora do peito. E de repente eu sinto seus lábios roçarem nos meus e iniciarem um selinho demorado, logo depois a língua dele pediu passagem e feito isso profundamos o beijo. No começo foi meio confuso, mas estava tudo maravilhoso, eu poderia ficar beijando ele pra sempre, mas como nada é como eu quero, ele foi partindo o beijo me dando alguns selinhos. Sinceramente? Não parecia que ele nunca havia beijado, não sei se foi por ele ser o primeiro que eu beijei, mas foi simplesmente maravilhoso, delicia de beijo. -Lua?- Arthur me tirou desse pequeno devaneio sobre o beijo dele e me perguntou aflito – Eaí? Foi bom pra você? Eu não falei nada, só sorri e ele foi ficando cada vez mais nervoso, dava pra ver suas mãos tremulas e eu simplesmente cai na gargalhada, eu devo ter algum problema mental, mas ver o Arthur tão desconcertado daquele jeito por causa de um beijo? A gente já até tomou banho juntos, claro que éramos mais novos, mas mesmo assim, foi realmente hilário. Ou nem tanto já que o Arthur me encarou sério e se levantou, o segurei pelo braço e perguntei:
- Ei, pra onde você vai rapaz? – Ele olhou pra mim sério e respondeu realmente chateado - Se meu beijo foi tão ruim assim, você ao menos poderia ter esperado eu sair pra dar suas gargalhadas  Quando ele falou isso eu não me aguentei, comecei a rir novamente mas logo após a careta que ele fez eu parei o riso olhei pra ele e sorri docemente 
– Foi o melhor beijo de toda a minha vida!  Ele se sentou na cama com um sorriso no canto da boca e disse.
- HAHA, engraçadinha até porque foi o único né? – Daí eu comecei a rir e fui ficando vermelha. Ele apenas sorriu e me puxou pra um abraço, sempre me senti segura nos braços do Arthur, ele sempre foi como meu irmão mais velho sabe? Mas quem sabe futuramente nós avançamos nas coisas?

Por: Duda Matos

E aí gostaram amorecos?

Um comentário :

*Nada de comentários do tipo "FIRST", indicando que você foi o primeiro a comentar. Isso é ridículo e não acrescenta nada à blogosfera.
*Críticas também são bem-vindas, mas tenha educação ao escrever.
*Só faça comentários a respeito do tema.
*Se quiser fazer propaganda, entre em contato pela c-box.
*Não envie comentários repetidos.
*Não agrida a equipe, por favor.

Agora é só comentar..

Design por: Deborah Sophia - Adapta��o do c�digo por: Bruna Oliveira - C�digo base por: Luiz Felipe