Image Map

10 de dez de 2013

2ª Temporada - LuAr Na Casa Dos Segredos 23° Capitulo

|


POV ARTHUR

Eu sei muito bem que tinha de acordar cedo e tals, mas acontece que a Lua dormiu hoje aqui e… bom, digamos que levantar às 6horas da manha não estava nos meus planos, não estava mesmo! Ver ela dormir é vida pow, é como se você visse um anjo a dormir, mas só que mais que isso. ela enfeitiça qualquer uma pessoa enquanto dorme. Eu seria capaz de olhar para ela o resto do dia, da semana, do ano até do seculo se fosse preciso.
E foi mesmo isso que aconteceu, eu esqueci das horas e só “acordei”, dos meus pensamentos claro, quando ela acordou…

Lua: bom dia lindo! – ela me abraçou e me puxou para cima dela, como eu adorava isso logo pela manhã – Dormiu bem?
Arthur: bom dia – dei um selinho demorado nela – Dormi, e você?
Lua: perfeitamente também… mas to com fome.
Arthur: o que você quer comer?
Lua: que tal… panquecas com você de manga e suco de uva?
Arthur: o que? – nem entendi o que ela disse – Desde quando você tem essas vontades de comer coisas loucas?
Lua: desde agora… - ela riu, levantou da cama e vestiu a minha camisa – Vem, estou com fome! – ela saiu do quarto e eu ainda fiquei na cama, até ouvir o seu grito – AH! Aguiar! – ela veio de novo para o quarto – São 11 da manhã, você devia estar a trabalhar, levanta agora! – ela dizia toda atrapalhada
Arthur ri: não quero
Lua: Arthur, não brinca…
Arthur: Lua, vamos dar uma de “VIDA LOUKA!” hoje porque eu não  quero ir trabalhar, quero apenas ficar com você – eu levantei da cama, fui até ela e beijei o seu pescoço – Quero te beijar, te dizer que te amo, dar gargalhadas com você e até te amar se você quiser. Eu faço de tudo… menos ir trabalhar
Lua ri: você pirou?
Arthur ri: por você!

Eu e ela parecíamos dois jovens tolinhos no momento em que caímos na cama, rindo e se beijando ao mesmo tempo. Rolamos, rolamos e rolamos até cairmos no chão, porém, eu fiquei por baixo (sim, até me machuquei) e mesmo assim a Lua reclamou de dor.

Lua ri: você não existe mesmo! – ela ficou por cima de mim, olhando nos meus olhos – O meu celular está tocando! Onde está ele? – ela olhava em volta, pelo chão
Arthur: esquece o celular, esquece tudo! Foca na gente e apenas isso – beijei ela, porém, ela saiu do beijo – Amor, eu disse que agente hoje ia dar uma de “VIDA LOUKA” lembra?
Lua: lembro, mas também sei que temos vida e…
Arthur: amor! – repreendi ela
Lua: tá, tá! É suposto eu não atender o celular?
Arthur: é – eu ri
Lua: mas e se for importante?
Arthur: mais que agente?
Lua: não mas, tipo, os meus pais?
Arthur: tá, se for eles você pode atender
Lua: vou ver então

Ela levantou e eu levantei de seguida. Ela olhou para o celular e logo jogou ele na cama, correndo depois para o meu colo. Ela pulou para cima de mim e eu logo entendi que ela era mais nada de importante.

Passamos o dia nos enchendo de carinhos, dizendo um ao outro o quanto nos amamos e sei lá mais um monte de coisas. Agente apenas se desligou um pouco do mundo e focou mais no nosso namoro. Estávamos a precisar de um momento so nosso e hoje foi o dia.
Para descontrair, fomos passear naqueles barquinhos em forma de pato, em que tempos de sentar e pedalar, num lago que a Lua bem conhecia. Eu nunca tinha estado lá, já ela disse que quando era criança passava lá todas as tardes de domingo

Lua: é muito divertido aqui! – disse, enquanto pedalava
Arthur: um lago dos cisnes – eu ri – Só você mesmo para me trazer para aqui
Lua: o que tem de mal aqui? – ela riu comigo
Arthur ri: nada de mais… mas é que eu nunca me lembraria de te trazer aqui
Lua: por isso mesmo é que eu te trouxe…

Ficamos pedalando mais um pouco até vermos passar à nossa frente um casal com um filho no colo. Os três riam as brincadeiras que o cara fazia e das caretas que a mulher fazia enquanto se envergonhava do que o suposto marido causava. A Lua ficou uns breves segundinhos olhando para lá e até parou de pedalar.

Arthur: que foi?
Lua: estava olhando para aquela família… acho tao lindo aquilo
Arthur: você sonha com aquilo?
Lua: quem não? – ela sorri – Eu quero ter filhos, quero poder subir ao altar e poder dizer “sim” ao cara certo
Arthur: que sou eu! – completei
Lua ri: bobo…
Arthur: sonha fazer isso quando?
Lua: daqui a uns anos, não sei…
Arthur: anos amor? Pow, daqui a uns anos vamos ser velhos. Eu não quero casar velho
Lua: velhos são os trapos. Alem disso, eu quero aproveitar a minha juventude
Arthur: entendo. Mas e ter filhos, você quer?
Lua: eu já te falei uma vez que sim. Sonho muito com isso. seria tao vida ver uma princesinha de um lado para o outro na casa. Você já imaginou? – ela riu e eu ri junto com a sua gargalhada – Imagina ela te chamando de papai… pow, quem me dera…


E foi ai que eu parei um pouco para sonhar. Seria realmente muito bom passar por uma coisa dessas. Ser pai não tem preço! Deve dar um orgulho enorme o facto de você por no mundo uma pessoa que tem as suas características físicas e quem sabe um dia mais tarde, as características psicológicas.

POV ARTHUR

Eu começava a ganhar vicio quanto às minhas ideias de ser “VIDA LOUKA” porém, no último dia que fiz isso com a Lua, levei uma bronca do diretor, por ter faltado às gravações que eram importantes naqueles dias. Mas o que importa é que eu e a Lua nos divertimos demais nesse dia. Ela parecia uma outra pessoa, fora do trabalho. Mas pronto, acho que por esse mês não vou faltar mais ao trabalho, a menos que seja mesmo preciso, pois ainda posso sair prejudicado com isso.

Hoje era domingo. Um domingo importante para a Lua e para agente também, porém, eu não sabia se ela se lembrava disso. Mas eu acho que sim, pois ontem dei pistas sobre o que íamos fazer hoje.

FLASH BACK ON

Enquanto tomávamos sorvete, conversávamos sobre o nosso dia a dia, confuso e muito cansativo.

Lua: é amanha que vou sentir que todo o meu trabalho valeu a pena
Arthur: tá feliz?
Lua ri: muito feliz – ela ria, enquanto segurava a minha mão sobre a mesa da esplanada – Vai ser a minha estreia no teatro de manha e à noite o primeiro show.
Arthur: mas não esquece que para além disso, nos temos de festejar nós dois – sorri de lado
Lua: nós dois? Logo amanha?
Arthur: lógico… esqueceu a data?
Lua ri: não, não esqueci… mas é que amanha é o show e eu depois queria curtir a noite com eles e com os meus fãs, porque vai ter sessão de autografo
Arthur: mas Lua, amanha é…
Lua interrompe: eu sei muito bem o que é. Mas eu não sei se vou conseguir ir… qua planos você tem?
Arthur: queria te raptar assim que você acabar de cantar.
Lua: eu vou cantar apenas uma música, mas eu tenho de ficar o show inteiro
Arthur: ahh, não amor… - pedi
Lua: Arthur…
Arthur interrompe: Lua… - eu fiz bico – Pow, é o nosso namoro!
Lua: tá… então pode ser. – ela se rendeu
Arthur ri: ótimo! – roubei um beijo dela – Quero provar o seu sorvete – pedi e ela me deu a provar

FLASH BACK OFF

Só espero que ela faça mesmo o que me fez crer ontem. Espero que à última da hora, ela não fuja e que não me deixe na mão.
Para variar um pouco, eu fui até à casa da minha mae. Ela já sentia a minha falta e eu confesso que também sentia saudade.

Arthur: mas mãe, eu preciso ir
Katia: mas Arthur, você não fica hoje aqui?
Arthur: não mae… - eu sorri – Hoje eu e a Lua fazemos 6 meses de namoro
Katia: meu deus, como o tempo passou – ela sorriu – Desejo muitas felicidades a vocês. Vocês merecem ficar juntos para sempre. Fazem um casal lindo
Arthur: eu também acho – nos rimos – Bom, agora preciso de ir. Tenho de ir ver a peça de teatro dela, depois ir a casa, me arrumar e ir ver o show que ela vai dar
Katia: ela vai dar um show?
Arthur: na verdade ela vai fazer uma participação num show. Depois você vê nas revistas
Katia ri: pois é… esqueci que tenho um filho e uma nora famosos
Arthur ri: confesso que gosto disso
Katia ri: so quero que você fique feliz
Arthur: e estou mãe – sorri – E estou muito.

Não demorei muito mais lá em casa e corri depois para o teatro. Faltavam 30 minutos para a peça de teatro começar e ainda havia tanta gente dispersa por lá à procura de lugares para estacionar e ainda meia perdida.
Eu tratei de estacionar o meu carro e entrar na fila enorme para entrar no Teatro. Até nem esperei muito. Pela entrada encontrei o Diego, o Mica e a Sophia por lá. Pouco depois chegou a Jhulie, a Juliana e o António Jorge, outros participantes da “Casa dos Segredos”.

Diego: só peço que durante a peça, você não babe a Lua
Arthur ri: impossível não babar
Mica: tá orgulhoso?
Arthur ri: orgulhoso é pouco. Hoje é um dia super especial
Sophia: deu um beijo de boa sorte nela?
Arthur: não… eu não tive oportunidade – disse sincero
Jhulie: olha que se correr mal, ela vai jogar as culpas em você
Arthur: confesso que ela anda com os comportamentos estranhos. Desejos vindos do nada, ciúmes e agora tá bem como daqui a pouco tá mal comigo. Mas pronto…
Sophia: hum? Desejos? Como assim?
Arthur: é… ainda ontem ela quis sorvete de banana com doce de maracujá por cima
Mica: com doce de maracujá? Isso existe?
Sophia: ela está gravida? – Sophia me sussurrou

Eu fiquei com um rosto de dúvida. A peça começou e não conversamos mais sobre o assunto. Mas eu fiquei com ele no pensamento. Eu sei que eu e a Lua demos um grande passo na nossa relação e que esse “passo” tem se repetido muitas vezes. E por vezes em lugares que agente menos esperava, que foi assim uma coisa do momento… enfim, por vezes esquecemos de tomar as precauções na hora, mas eu sei que a Lua trata disso no dia seguinte tomando os remédios que as mulheres sempre tomam.

Assim que a pela terminou, todos batemos palmas ao elenco maravilhoso de teatro. A Lua parecia até profissional.
Depois dos autógrafos, eu entrei no camarim dela e era nesse momento que ela se trocava. Eu fiquei paralisado na porta porque ela no momento estava se trocando e eu fixei o olhar na barriga dela. Imagina ela crescer… imagina ela grande com algo dentro dela. Pow… eu fiquei até emocionado, mas “acordei” quando ela me chamou…

Lua ri: Arthur, fecha a porta! – ela gritava pela terceira vez e eu fechei a porta
Arthur: desculpa… - eu sentei no sofá – É que eu…
Lua interrompe: você gostou da minha atuação? Eu quase me enganei numa fala, mas felizmente o Luíz me ajudou…
Arthur: Luíz? Que Luíz?
Lua: é o cara que encena comigo…
Arthur: ahh… - eu continuei encarando o chão
Lua: mas pow, você não vai dizer nada sobre a peça?
Arthur: - eu ri, levantei do sofá e encostei ela na cadeira – Eu adorei cada segundinho de ver você falando, cada gesto e cada sorriso que você dava.
Lua ri: obrigada meu amor. – ela me abraçou, seguido de um beijo
Arthur: esqueceu? – perguntei assim que agente se afastou
Lua: esqueci o que?
Arthur: nada… - eu me afastei, meio triste – Eu deixei mensagem no seu celular, você nem respondeu
Lua: ahh – ela pegou a sua blusa e vestiu – O nosso aniversário de namoro amor. Pow, parabéns pra nós! – ela me beijou de novo – Quase tinha esquecido. Eu não comprei nada para você hoje, mas não passa de amanha
Arthur: não precisa de nada. Apenas uma coisa…
Lua: o que?
Arthur: esta noite, quando você acabar de atuar no palco, vai ter ao teu camarim, se arruma porque depois você é só minha – sorri e puxei uma mexa sua para trás
Lua: tá… - ela continuou se arrumando

(…)

E assim foi. mais uma vez a Lua arrazou em cima do palco. Ela conseguiu cantar a musica “todo o dia” junto com a banda Pietros e não se enganou uma única vez. A musica é romântica até e os dois cantavam como se fossem um casal, sim, até deu para sentir um pouco de ciúmes por havia alguns fãs deles que pensam que a Lua namorava com o cara, mas pronto… o que importa é que ela é minha e só minha e nesta noite, nada mais vai importar, além de eu e ela, juntinhos.

Havia uma troca de planos. Eu pensei em esperar ela no camarim, mas isso ia levantar muitas suspeitas, pois as pessoas iam ver nós dois a sair do local do show e ia parecer estranho. Então, assim que ela acabou de cantar, eu fui até ao seu camarim e deixei um recado por debaixo da porta…

“Vem ter comigo a este restaurante (eu coloquei a morada). Estou te esperando! Amo você! -- Arthur”

Para que tudo ficasse mais bonitinho, deixei uma flor na porta do camarim. Uma das que ela mais gosta…

Nenhum comentário :

Postar um comentário

*Nada de comentários do tipo "FIRST", indicando que você foi o primeiro a comentar. Isso é ridículo e não acrescenta nada à blogosfera.
*Críticas também são bem-vindas, mas tenha educação ao escrever.
*Só faça comentários a respeito do tema.
*Se quiser fazer propaganda, entre em contato pela c-box.
*Não envie comentários repetidos.
*Não agrida a equipe, por favor.

Agora é só comentar..

Design por: Deborah Sophia - Adapta��o do c�digo por: Bruna Oliveira - C�digo base por: Luiz Felipe