Image Map

14 de dez de 2013

2ª Temporada - LuAr Na Casa Dos Segredos 26° Capitulo

|

POV ARTHUR

A minha vida tinha mudado um pouco nestes últimos dias. Recebi muitas novas propostas de trabalho e em breve o meu sucesso vai aumentar. As coisas têm andando muito corridas, mal tenho tempo para a minha família e para os meus amigos. Aproveitei apenas a minha folga para estar com a filha de uma amiga da minha mãe. Ela veio de Londres e veio estudar representação aqui no Brasil. Ela também é brasileira, porém em pequena emigrou para Londres com os pais. Mas, como diz ela: “o Brasil é a minha terra”. Em princípio ela vai morar na minha casa, porque eu todos os dias vou lhe deixar na escola de representação.
Como eu disse, ontem eu trouxe ela e a minha mãe até ao meu apê.

FLASH BACK

Por acaso, hoje a casa estava arrumadinha, não porque ela vinha, mas sim porque simplesmente não tinha nada para fazer de manhã.

Kátia: nossa, arrumou a casa para as visitas foi? – ela riu
Arthur ri: por acaso nem foi
Kátia ri: o Arthur é um desarrumado Kelly. Se acostume
Kelly ri: bom, sendo assim somos dois. Acho que quarto que não é desarrumado, não é o meu quarto
Arthur ri: então temos mais isso em comum
Kátia: bom, eu agora vou embora. Tenho de dar aulas agora. Mais tarde eu ligo para saber como as coisas vão. Juízo meninos
Arthur ri: pode deixar mãe – ela se despediu da gente e levei ela até à porta – Bom, você já conhece o seu quarto, já sabe os cantos à casa, então agora é só se acomodar
Kelly: queria muito te agradecer por você me deixar ficar aqui. Eu sei que estou entrando um pouco na sua privacidade, mas um dia que você precise da casa só para você, é só dizer.
Arthur ri: não precisa se incomodar com isso.
Kelly: é que ficar aqui saia muito mais barato do que ficar num hotel ou numa pensão. Porém, vou contribuir para as despesas, claro
Arthur: não precisa – repeti de novo
Kelly: eu pensei no inicio que ia ficar na casa da sua mãe. Mas de carro até à escola fica quase 1hora de carro, isso se não houver trânsito
Arthur: eu acho até que 1hora é pouco. Eu acho que é mais que isso.
Kelly: espero ser bem recebi lá na escola
Arthur: eu tive umas aulas de representação com um dos professores de lá. Eu tenho a certeza que você vai adorar
Kelly ri: ótimo

FLASH BACK OFF

A Kelly era uma garota simples, super dedicada aos estudos e muito trabalhadora. Ela tinha dois anos a mais que eu, mas isso nem nos incomodava. Para além de termos a “desarrumação” em comum, temos também o facto de estarmos solteiros. Pelo que sei, a Kelly terminou uma relação à pouco mais de 3 meses.

Arthur: bom, eu vou sair para trabalhar. Hoje é só durante umas 5 horas. Depois eu volto. Se precisar de alguma coisa, é só pedir
Kelly: claro, não se preocupa.

Hoje estava um dia muito chuvoso. Estava terrivel mesmo, já para não falar do frio que fazia aqui. Para piorar a situação, eu estava no meio de um trânsito, mas consegui sair de lá pois entrei num beco que me levava ao trabalho mais rápido. Bom, não é bem um beco, é apenas uma estrada que é o dobro do caminho para chegar ao rec9. Eu fui por ai e me dei mal, pois um tive um furo no pneu do carro.

Tive de sair do carro, no meio daquela chuva e trocar o pneu, porém, estava meio difícil. Me senti amparado por alguém, que me acolheu com o guarda-chuva naquele momento. Quando olhei pra ver de quem se tratava, fiquei surpreso.

Arthur: Lua? – limpei o rosto coberto por pingos de chuva
Lua: eu mesmo… - ela sorriu – Precisa de ajuda?
Arthur: o que você faz aqui?
Lua: eu estava passando com o carro. Acabei de sair do rec9 e vi o seu carro aqui. Conheci ele pela placa. Quer uma carona?
Arthur: não… está quase – eu menti e voltei a mexer na porr* do pneu
Lua: Arthur, deixa de ser assim. Eu sei muito bem que você não entende nada do que está fazendo – Droga, ela tinha razão
Arthur: bom… você tá certa! – me levantei

Quando me aproximei dela para ficar debaixo do guarda-chuva e peguei o celular, o guarda chuva simplesmente voou com o vento. Ficamos enxarcados em menos de um minuto, com a tamanha chuva que insistia em cair.

Lua: droga… - ela falou, olhando para mim ou então para os meus lábios molhados pela chuva, assim como todo o meu rosto
Arthur: é melhor agente se…

Era impossível eu falar sem ter de olhar aqueles olhos e aqueles lábios pedindo o beijo que tanto eu como ela esperávamos. E foi mesmo ali na chuva que nos beijamos… eu parei o beijo quando senti uma gota de chuva maior cair entre os nossos narizes.

Arthur: desculpa
Lua: eu é que peço desculpa…

Ficamos atrapalhados e abasbacados ali no meio da chuva ainda. Mas logo ela me puxou para o seu carro e me levou até ao rec9.

(…)

Por ter chegado mais tarde ao trabalho, tive de compensar as horas e sai mais tarde também. Cheguei a casa perto das 23horas da noite e a chuva ainda não tinha parado. Pior que isso, era a trovoada que dava e o vento que fazia na rua.
A Kelly ainda estava acordada, vendo tv na sala e quando ela se levantou por eu ter chegado, a luz apaga…

Kelly: ahh não, um apagão não! – disse no meio do escuro
Arthur: tá com medo?
Kelly: pow, odeio o escuro
Arthur: não se preocupa… eu acho que por ai eu tenho uma lanterna
Kelly: por ai onde?
Arthur: acho que aqui nos armários…

Quando íamos para os armários que eu indiquei, acabamos nos chocando e ficando muito próximos um do outro.

Eu não sei o que me deu, não sei o que aconteceu entre agente, mas os lábios dela eu senti. Senti aquele beijo delicado dela e quando dei por mim, a minha mão já percorria a cintura dela, assim como as mãos dela desordenavam os meus cabelos… eu não sabia o que estava acontecendo entre agente.

POV ARTHUR

Seria meio difícil de acreditar, mas a verdade é que eu tinha acordado hoje no sofá, com a Kelly nos meus braços. Calma gente, foi apenas dormir. Se bem se lembram, ontem faltou a luz e pelos vistos ainda não voltou. O dia continua escuro e está chovendo de mais. A cidade nem parece a mesma.

Comecei a levantar devagar e deixei ela cair para o lado e na mesma continuou a dormir. Quando reparei no celular, havia três chamadas perdidas do Ivan que ainda deixou mensagem a dizer que hoje não deveríamos ir trabalhar e muito menos sair de casa. Pelos vistos, o temporal vai continuar.
Outras das mensagens que eu tinha, era da Lua, que me surpreendeu ao se lembrar de mim.
Eu sou um perfeito traste porque ontem beijei ela e ainda cheguei a beijar a Kelly. Porém, de ambos os beijos eu gostei e digo até que fiquei com duvidas entre o melhor. Não sei se é porque a Kelly tem mais idade e experiência ou por simplesmente eu estar confundindo tudo. Enfim!

Mas ontem, depois do meu beijo com a Lua no meio daquela chuva, ela foi me levar ao Rec9 e o meu carro foi para uma oficina, que depois trataram de me levar ao Rec9.

FLASH BACK

Haviamos acabado de chegar ao Rec9 e a Lua parou o carro lá perto para eu poder sair.

Arthur: obrigado mais uma vez
Lua: eu  é que agradeço! – ela sorriu – Parece até que foi obra de deus
Arthur: o que? A chuva?
Lua: a chuva, a trovoada… e o facto de nos termos encontrado. Eu adorei – sorriu de novo
Arthur: Lua, não confunde as coisas… agente se beijou sim, mas foi por impulso.
Lua: mas vai dizer que não gostou?
Arthur: se eu disse-se isso, eu mentia… mas a verdade é que não estamos mais juntos
Lua: porque você não quer
Arthur: porque você fez coisas que me machucaram
Lua: mas já passou tanto tempo e eu já pedi desculpas e se for preciso eu torno a pedir Arthur. você me faz tanta falta… - ela segurou a minha mão – Eu sinto saudade
Arthur: mas eu não quero me voltar a machucar de novo. E eu decidi que vou levar a vida para a frente
Lua: quer dizer que agente nunca vai ter volta?
Arthur: nunca é uma palavra muito seria. Eu não posso lhe dizer isso
Lua: quer dizer que ainda tenho chance? – ela sorriu
Arthur: quer dizer que eu estou atrasado. Bom, obrigado de novo! E vai com cuidado para casa
Lua: de nada. Se você precisar de alguma coisa, me diz
Arthur: tá – sorri

Sai do carro e fui correndo trocar de roupa para não me constipar.

FLASH BACK OFF

A mensagem da Lua dizia o seguinte:

~Oi Arthur. chegou bem à casa ontem? Aconteceu mais alguma coisa com o carro?~
~Oi Lua, esta tudo bem. Eu cheguei bem a casa. O carro ficou bom depois que foi à oficina~
~Que bom. Ficou engripado ou assim?~
~Não… fiquei bem. Mas você ficou?~
~Fiquei um pouco. Mas vai passar~
~Pow, a culpa foi minha. Melhoras então~
~Obrigada J ~

Fiquei sem saber mais o que dizer, mas fiquei feliz por ela se preocupar comigo. Achava até melhor eu mandar algo a ela, porque ela ficou doente por minha culpa. Mas depois eu posso pensar nisso.

Kelly: bom dia! – ela chegou à cozinha mas não me olhava nos olhos – Arthur, eu estou muito sem graça com o que aconteceu ontem
Arthur: pois… eu não contava com aquilo
Kelly: peço mil desculpas!
Arthur: não tem que pedir… a culpa não foi sua. Você não fez nada sozinha
Kelly: mas mesmo assim… eu poderia ter evitado, acontece que com a emoção do momento eu acabei cedendo
Arthur: assim como eu. Não temos que nos preocupar com isso.
Kelly: ainda bem – ela sorriu – Bom, acho que não vou poder ir à aula hoje. Está chovendo de mais
Arthur: o meu chefe me mandou mensagem e ele disse que era aconselhável não sair mesmo de casa
Kelly: bom, vou fazer um pouco de exercício então…


Ela comeu apenas uma fruta e foi para a casa exercitar. Eu fui tomar um banho, mesmo com o banheiro escuro. Eu precisava de por as ideias em dia.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

*Nada de comentários do tipo "FIRST", indicando que você foi o primeiro a comentar. Isso é ridículo e não acrescenta nada à blogosfera.
*Críticas também são bem-vindas, mas tenha educação ao escrever.
*Só faça comentários a respeito do tema.
*Se quiser fazer propaganda, entre em contato pela c-box.
*Não envie comentários repetidos.
*Não agrida a equipe, por favor.

Agora é só comentar..

Design por: Deborah Sophia - Adapta��o do c�digo por: Bruna Oliveira - C�digo base por: Luiz Felipe